ONDATRÓPICA

Colômbia



Estávamos em 2011, e tínhamo-nos sentado à beira da Avenida Roosevelt, enquanto as motocicletas passavam e o sol brilhava no céu. Ambos segurávamos sacos de plástico pretos rompidos nos cantos por discos usados. Foi o nosso primeiro encontro (Mario viajava de Bogotá para Cali, onde Will vivia), e iria tornar-se uma reunião mensal, à medida que as ideias e paixões partilhadas que dariam origem aos Ondatropica começavam a tomar forma. No espaço de um ano, foi feita uma gravação e os nossos planos estavam formados. Os Ondatropica superaram as nossas expectativa, e, com a colaboração de mais de 40 músicos, e com o apoio e a admiração de milhares de colecionadores de discos e de fãs, foi criado um novo padrão de excelência na música Colombiana. . Desde esse encontro, um segundo disco tem estado na calha há muito tempo - com idéias para composições que vão borbulhando ao longo dos anos, riffs imaginados nos bancos de trás de autocarros de tournée, e a contribuição de músicos visitantes que adicionam riqueza e textura ao som da banda. A premissa para o segundo disco era a de gravar em Bogotá e na Ilha de Providencia. Dois locais contrastantes, mas unidos pela sua reputação como centros de criatividade musical - Bogotá, com o seu submundo subversivo que expressa uma mentalidade punk e autónoma, e Providencia, que re-interpreta e atualiza uma identidade nacional colombiana com o orgulhoso renascimento do folclore regional associado à devoção pelos sons Dancehall e Reggae. Tendo-nos concentrado numa abordagem mais latina no nosso primeiro disco, a ideia de gravar em Providencia não foi casual. Sendo uma ilha inicialmente colonizada pelos britânicos, tornando-se mais tarde parte da República Colombiana, a ilha possui uma forte mistura de tradições culturais africanas, inglesas e espanholas, e é portanto um exemplo perfeito da experiência cultural caribenha. Em vez de separar as influências dos estilos Anglo-, Franco-, e Hispano-Caribenhos, o nosso objetivo foi explorar o seu lado comum e as formas em que estes diferentes estilos se sintetizam. Em Outubro de 2015, depois de gravar em Bogotá com alguns pesos-pesados locais, o núcleo duro dos Ondatrópica viajou até Old Providence, onde continuaram os trabalhos no disco que agora têm nas mãos. O estúdio de gravação Midnight Dream Theatre era a nossa casa; O rum áspero alimentou as longas sessões e soltou os diálogos entre o Calypso e a Gaida, entre o acordeão e a guitarra havaiana, entre as claves e o bandolim, ou até mesmo entre sintetizadores e o osso do maxilar de um cavalo. Entre os dois locais, gravaram um total de 35 músicos, e na boa tradição do estilo Onda, todos eram de origens, estilos musicais e grupos etários muito diferentes. Um grupo de músicos tornados piratas, erguendo os copos para um brinde ao seu tesouro: melodias e ritmos. A Gozar el Baile Bucanero Mario Galeano & Will Holland





ONDATRÓPICA - Colômbia